SUPERMERCADOS E OS PRODUTOS SAZONAIS DE FINAL DE ANO

Rede de varejo da Primato prepara os produtos mais consumidos entre o Natal e Ano Novo.

E como no piscar de olhos novamente nos vemos envolvidos com as festividades de final de ano. Momento que o varejo busca as melhores estratégias para que os consumidores possam, enfim, obter produtos diferenciados e condições especiais. O varejo utiliza o termo de produtos sazonais, que ocorrem em determinados momentos do ano, seja por influência do clima e estações do ano, estratégias de vendas ou ainda como as datas especiais.

Com este objetivo, os Supermercados da rede Primato estão trabalhando para apresentar o que há de melhor para as festas de Natal e Ano Novo.

PROJEÇÕES

As projeções para o Natal 2017, segundo a Associação Brasileira de Supermercados, ABRAS, é de crescimento de 8,34% este ano, representando uma queda de 1,22% em relação ao ano passado, porém, em termos reais, a projeção é de estabilidade com estimativa de 0,27% de crescimento.

“O momento político e econômico ainda gera incertezas na população, que segue cautelosa em relação ao consumo, priorizando produtos mais baratos e de menor valor agregado. A retomada do crescimento não veio como gostaríamos em 2017, mas a expectativa é positiva. O Natal e o Réveillon são períodos de grande movimento nos supermercados e é importante nos prepararmos para receber da melhor maneira possível nossos clientes”, ressalta o presidente da ABRAS, João Sanzovo Neto.

VENDAS

A expectativa de vendas dos produtos mais consumidos no Natal e no Réveillon em relação ao ano passado, têm a cerveja (12,36%) e o frango congelado (12,35%) liderando as perspectivas dos empresários, seguidos da carne bovina (10,69%) e do suco (9,26%), dois itens inclusos na pesquisa este ano.

PRODUTOS

Dentre os produtos típicos do Natal, os supermercadistas estão apostando mais nas vendas de frutas nacionais da época (10,96%), que representa um aumento de 50 pontos percentuais, em relação às perspectivas de 2016, que registrou 10,46%, seguido do panetone (9,79%), espumantes/frisantes (8,09%), lombo (7,71%) e frutas secas (7,32%). O peru, uma das aves mais tradicionais da época, registrou estabilidade nas encomendas e representa 7,07% da expectativa de vendas para o período, ante 7,00%, registrado no ano passado.

Em relação aos peixes, os supermercadistas estão apostando mais no fresco (8,00%), seguido do bacalhau (7,71%) e peixe congelado (7,00%).

IMPORTADOS

As oscilações do dólar impactaram as perspectivas dos empresários supermercadistas, que diminuíram suas apostas nos produtos importados. A estimativa de vendas para estes itens ficou em 5,83%, bem abaixo dos 10,00% registrados em 2016, uma queda de 4,17%. Os vinhos importados, muito procurados para a época, também tiveram queda nas encomendas. Em 2017, este item representa 5,77% das expectativas de vendas, ante 8,43% de 2016.

PREÇOS

Em relação à variação de preços nos últimos 12 meses, os itens que registraram maior variação foram: brinquedos (10,24%), cerveja (9,24%) e peixe fresco (9,82%).

PRESENTES

Dentre os itens para presentear, os supermercadistas estão apostando em produtos de menor valor agregado, as “lembrancinhas”. Neste quesito, a caixa de bombom lidera, com 9,53% da expectativa de vendas, seguida dos brinquedos (8,31%) e dos eletrônicos (7,33%).

PRIMATO

Segundo Tatiane Marise Piazzetta do setor de compras do Primato Supermercados, aponta que há um acompanhamento mais periódico no segmento supermercadista e que a expectativa é positiva para o final deste ano em relação a 2016. “Acompanhando o setor e outras redes de supermercados, notamos que há um melhora no segmento, mesmo ciente de que o cenário econômico ainda não esteja ideal, a expectativa é de um final de ano melhor em relação ao ano passado”.

Tatiane ainda explicou que para conseguir ser competitivo neste período de festa de final de ano, a compra dos produtos sazonais foram feitas antecipadamente. “Nos preparamos e compramos a maioria dos produtos não perecíveis em outubro, pois quanto antes os produtos estiveram na gôndola, melhor a reação, mesmo ciente de que a decisão da compra é em dezembro, o consumidor vai criando referência, fazendo análise, pesquisa e comparativos àquilo que ele pretende comprar e assim ter o preço mais assertivo, por isso fizemos um investimento pesado e antecipado”.

Através do histórico de informações dos supermercados da cooperativa, Tatiane pontuou quais produtos tem maior saída neste período. “Iniciamos com produtos relacionados ao Natal, entre eles panetone, chocolate, além de aves natalinas e carnes especiais. Por sua vez o ano novo tem aumento de procura por frisantes filtrados, espumantes mais finos, carnes especiais, como suíno congelado, tender, chester ou pernil, assim como as frutas para ambas as ceias, Natal e Ano Novo”. Tatiane concluiu reforçando que as bebidas e carnes para churrasco têm um aumento considerável, “isso está relacionado às festividades em família, amigos, empresas, assim como o fato de ser o verão, estação mais quente do ano”.

Voltar