O Profissionalismo no Gado de Corte

A pecuária é uma das grandes atividades desenvolvidas dentro do agronegócio brasileiro. Um levantamento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o MAPA, relaciona que o agronegócio representa 21% do Produto Interno Bruto, o PIB nacional, e que a pecuária é responsável por 30% do PIB do agronegócio. Segundo a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná, a Adapar, somente dentro do limite do município de Umuarama (PR), existem 1.161 propriedades rurais com uma proporção de 128.584 cabeças de gado. Com este potencial, o gado de corte se destaca e apresenta o profissionalismo do setor para que cada vez mais seja possível aumentar
a produtividade e, consequentemente, a lucratividade dos produtores envolvidos. A Primato Cooperativa Agroindustrial atua nesta região e traz como destaque o cooperado Milton Gaiari.

UMUARAMA
Com potencial na pecuária, a região que fica sob a responsabilidade do escritório da Adapar, regional de Umuarama, abrange 21 municípios que possuem 9.468 propriedades rurais ligadas diretamente à pecuária – incluídos leite e corte – com uma população bovina de 919 mil cabeças aproximadamente. Juntando os 32 municípios integrantes da AMERIOS (Associação dos Municípios de Entre Rios), a região fica em primeiro lugar na quantidade de cabeças de gado em todo o Paraná, com aproximadamente 1,2 milhão de cabeças.

RAÇÃO
Entre eles está o cooperado Milton Gaiari, que desenvolve pecuária, em sua maioria de corte em 73 alqueires, divididos em três propriedades. “Em 2017 iniciamos a parceria com a Primato, utilizando a Ração 19%. Engordamos mais de 400 cabeças de gado em confinamento, com uma média de ganho de peso de 2.060kg por dia, o que classificamos como excelente, comparado aos anos anteriores”. Milton fez questão de enaltecer que a ração teve efeito positivo no sistema digestivo do plantel. “Além dessa  excelente média de ganho de peso, desde que iniciamos o uso da Prima Raça, não tivemos mais problemas de empanzinamento em nosso plantel, algo que também ocorria em anos anteriores, por isso, posso afirmar que a qualidade da ração está diretamente ligada a esses dois importantes fatores que fizeram a diferença de produção em 2017”.

PRIMATO
O cooperado também classificou que a assistência técnica comercial da Primato vem sendo estreitada e se tornou importante no processo de sua produção. “Considero a relação com a Primato muito importante, afinal, além de apresentar uma ração de alta qualidade e se trata de uma cooperativa”, enfatizou Milton que conclui, “estamos reivindicando que a Primato se estabeleça também em Umuarama, pois assim como eu, muitos pecuaristas estão utilizando a ração e querem fazer parte da cooperativa”.

Voltar